Fórmula 1

Daniel Ricciardo Q&A: O Lewis não terá vida fácil!

A Red Bull tem a reputação de acertar quando os regulamentos técnicos se modificam. É por isso que Daniel Ricciardo acredita poder ser candidato ao título em 2017. O efervescente australiano foi um dos dois únicos pilotos a bater a Mercedes no ano passado, mas esta temporada espera que isso se possa tornar um hábito. Daniel Ricciardo – que se encontra nos Estados Unidos a treinar – conta-nos as razões pelas quais está tão otimista para 2017.

P: Daniel, já tiveste algum tempo para digerir as aprendizagens de 2016. Certamente que vai ser difícil, mas conseguirá a Red Bull regressar ao topo?

Daniel Ricciardo: 2016 foi muito encorajador para toda a equipa. Conseguimos voltar a lutar por vitórias, pódios e pole positions. Foi um grande passo que nos aproximou de onde querermos voltar. E pelo que ouvi sobre o novo carro, eu definitivamente arriscaria uma aposta em nosso favor.

P: Eras um dos pilotos que por vezes viajava com o Nico Rosberg para as corridas. Como explicas a sua saída repentina da F1?

DR: Começou por ser uma surpresa, mas assim que refleti sobre o assunto e me coloquei no lugar dele percebi muito melhor. Ele agora tem uma família e tem estado envolvido no desporto desde que o seu pai corria, por isso foi uma longa carreira nesse sentido. Não é fácil gerir todas as viagens e compromissos e ele atingiu o que queria, portanto agora é a hora de relaxar. Eu entendo-o!

P: É preciso andar muito para trás no tempo para encontrar uma equipa na situação em que a Mercedes estava com a saída de Rosberg: ter o melhor lugar disponível mas nenhuma alternativa – até que eles finalmente foram capazes de resgatar o Valtteri Bottas da Williams. Eles também bateram à tua porta, não foi?

DR: Ele deixou a Mercedes numa posição incrível. Estou certo de que todos os pilotos contactaram ou pensaram contactar o Toto e o Niki. Tem sido interessante ver isso evoluir e agora o Bottas tem a sua grande oportunidade. Vamos ver como lhe corre. Para mim, estou melhor na Red Bull Racing.

P: De certeza que a possibilidade de conduzir o carro dos campeões do mundo foi tentadora…

DR: Tentadora sim, para ter a sensação de como o carro funciona. Mas 2017 é um ano novo e estou à espera de que o carro dos campeões do mundo seja o nosso!

P: Com a saída do Nico, muitos vão pensar que o Lewis vai ter vida fácil a caminho do seu quarto título. Achas que vais ser um verdadeiro candidato ao título este ano?

DR: Acho que podemos estar na luta, sim. Se conseguirmos evoluir da mesma forma que no ano passado não será nada fácil para ele, acreditem.

P: Serias ousado o suficiente para afirmar que a Red Bull tem os melhores pilotos da grelha? A mistura certa de experiência e bravura? Quem se segue na hierarquia?



DR:
 Acho mesmo que sim. Mas não tenho a certeza de qual é a segunda melhor equipa nesse aspeto. Nem estou muito interessado!

P: Janeiro é aquele mês em que os pilotos entram em “hibernação”, mas este ano parece ser diferente. Todos estão a tentar adicionar um nível extra à sua preparação física. Tu também? 

DR: Tem sido divertido colocar ainda mais ênfase nos treinos de Janeiro deste ano – especialmente quando o fazes em Los Angeles! É tudo muito bom aqui e as instalações são incríveis. Todos os anos este mês foi de treino intenso, mas este ano podemos treinar de forma mais intensa sem nos termos de preocupar tanto com peso e músculos. É divertido. Não nos podemos distrair, mas a intensidade aumentou e eu também posso comer um pouco mais depois dos treinos, o que me faz sentir bem! O que eu faço? Tudo. Desde ciclismo, treinos de força no ginásio, boxe… A lista é enorme.

P: Os novos carros vão ser mais rápidos e largos, mas como vão ser as corridas?

DR: Esperemos que fique cada vez melhor no decorrer da época. A partir de Melbourne vamos poder lutar em pista sem que as penalizações nos condicionem o tempo todo. Vou dar o meu melhor para que seja emocionante para os fãs.

P: A Red Bull é uma das três equipas que tem estado a ajudar a Pirelli nos testes com os pneus de 2017. O que podes dizer sobre isso? 

DR: É difícil de avaliar. Claro que senti mais aderência com os pneus maiores, mas o carro estava com uma configuração base para não se aproximar daquilo que será o de 2017. Mas estou à espera de ser surpreendido em Barcelona. Pelo que vi no simulador será um verdadeiro desafio. Mas em Barcelona já vamos ver a realidade.

P: Quais são os teus planos até Melbourne em Março?

DR: Treinar, trabalhar e relaxar. Mal posso esperar!

Clique para comentar

Responder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Últimas Notícias

Fundado em 2012, o F1PT surgiu com a missão de levar toda a informação sobre o mundo da Formula 1 aos portugueses e países de língua portuguesa.

Com o objetivo de sermos líderes na cobertura do pináculo do desporto motorizado, comprometemos-nos a apresentar o máximo de conteúdo disponível nunca sacrificando a qualidade do mesmo.

Disclaimer

F1PT is not affiliated with Formula 1, Formula One Management, Formula One Administration, Formula One Licensing BV, Formula One World Championship Ltd or any other organisation or entity associated with the official Formula One governing organisations or their shareholders.

Copyrighted material used under Fair Use/Fair Comment.

Facebook

Copyright © 2017 F1PT.

Topo
Download Premium Magento Themes Free | download premium wordpress themes free | giay nam dep | giay luoi nam | giay nam cong so | giay cao got nu | giay the thao nu