Fórmula 1

Haas: Início da temporada irá definir futuro da equipa na Fórmula 1

Gene Haas afirma que a prestação da sua equipa no início da temporada irá definir se a estrutura se compromete ou não a permanecer na Fórmula 1 para além de 2020.

Em declarações proferidas durante a prova deste fim de semana da NASCAR, o norte-americano, que já tinha deixado claro que só continuará na Fórmula 1 se a sua equipa puder ser competitiva, revelou que os enormes custos adjacentes aos novos regulamentos dificultam a hipótese de se comprometer com o desporto por mais cinco anos.

“Estou apenas à espera para ver como esta temporada começa”, disse Haas quando questionado sobre o futuro da sua equipa. “Se tivermos outro ano mau, não seria tão favorável [continuar].”

“Fizemos cinco anos. Esse era o teste. Queríamos fazer isto por cinco anos, ver como corria, avaliar e depois decidir se continuávamos.”

“Não estou a dizer que não voltaremos. Precisa de ser avaliado. No entanto, fazer isto por mais cinco anos seria um grande compromisso.”

Embora admita que a entrada na Fórmula 1 impulsionou o lado empresarial da Haas, o norte-americano diz estar preocupado com o impacto dos regulamentos de 2021.

“Ajudou bastante”, disse Haas sobre o impacto nos negócios. “Deu-nos muito reconhecimento no mercado europeu e em muitos mercados asiáticos.”

“Trouxemos muitos clientes para as corridas. Tudo deu certo. Mas com os novos regulamentos a chegarem em 2021, a grande questão está relacionada com os custos.”

“Estão a acontecer muitas mudanças na Fórmula 1 e precisas de questionar se vale a pena implementar todas essas mudanças. Sei que todos acham que estas mudanças são boas, mas também são caras.”

“Penso que eles fazem estas mudanças com a melhor das intenções, mas quando estás do outro lado da equação a tentar implementá-las, economicamente é extremamente difícil.”

Quando lhe perguntaram se o retorno desportivo compensava o investimento financeiro, Haas respondeu: “Definitivamente não.”

“O modelo de negócios não favorece as equipas mais pequenas. Como todos sabem pela maneira como o dinheiro é distribuído, 70% vai para as três equipas de topo e 30% para as outras sete equipas. Não é um bom modelo económico.”

Clique para comentar

Responder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Últimas Notícias

Fundado em 2012, o F1PT surgiu com a missão de levar toda a informação sobre o mundo da Formula 1 aos portugueses e países de língua portuguesa.

Com o objetivo de sermos líderes na cobertura do pináculo do desporto motorizado, comprometemos-nos a apresentar o máximo de conteúdo disponível nunca sacrificando a qualidade do mesmo.

Disclaimer

F1PT is not affiliated with Formula 1, Formula One Management, Formula One Administration, Formula One Licensing BV, Formula One World Championship Ltd or any other organisation or entity associated with the official Formula One governing organisations or their shareholders.

Copyrighted material used under Fair Use/Fair Comment.

Facebook

Copyright © 2017 F1PT.

Topo